top of page
  • Avaloney

Resenha - Uma Mensagem Maior: Conversas com David Hockney

Título original: A Bigger Message: Conversations with David Hockney

Título em coreano: 다시, 그림이다

Autor: Martin Gayford

Ano de publicação: 2011


Sinopse: Brilhante, esclarecedora e divertida; uma década de conversas entre David Hockney e o crítico Martin Gayford, explorando a natureza da criatividade por meio de reflexões, anedotas, paixão e humor…


 

"À medida que nossas conversas prosseguiam, comecei a entender a insistência de Hockney em falar de "camadas". Um pintor não se limita a acrescentar cada vez mais tinta a uma tela ou folha de papel: estão em andamento novas ideias e observações, cada uma ajustando-se à anterior. O processo de escrever — refletir sobre o tema, editar e ampliar o que escrevemos antes — é essencialmente o mesmo. Grande parte das experiências humanas, quando paramos para pensar no assunto, é questão de camadas. Entendemos o presente comparando-o ao passado — camada sobre camada — e, quando pensamos nele mais tarde, acrescentamos ainda mais camadas. E, à medida que fazemos isso, nosso ângulo de visão se altera."


 

Numa tarde abafada do verão de 2021, pechei por acaso numa notícia de 2018: o recorde de preço na obra de um artista vivo, pertencente a Jeff Koons desde 2013, havia sido batido. Lendo a matéria por alto, encontro um nome conhecido para os Armys. Hockney havia vendido um de seus quadros por US$ 90 milhões.


Lembrei então desse livro parado na estante já há alguns meses. Havia conseguido numa promoção por menos da metade do preço e sabia que o leria, mas não era minha prioridade de leitura nem meu foco de interesse havia sido a pintura naqueles últimos tempos. Mas uma pergunta já antiga voltava a me assombrar: por que um quadro poderia valer tanto? — Ou melhor: por que algumas obras podem chegar a valer centenas de vezes o valor de outras? Ninguém melhor que um pintor e um crítico de arte que somam juntos décadas de experiência para responder a essa pergunta.


Não apenas a resposta da minha pergunta estava, de fato, escondida no meio do livro, como a de muitas outras perguntas que já havia feito e desistido de procurar a resposta. Hockney é, pelos olhos de Gayford e de outros artistas de diferentes áreas que trabalharam sobre sua figura, surpreendentemente vasto e atemporal. Tem opiniões muitas vezes sensíveis ou ácidas sobre os mais diversos campos da arte, e isso é visto tanto nos vídeos e documentários quanto nas falas guardadas por Gayford durante dez anos de amizade para o produto final — esse livro. Hockney dá a opinião e Gayford explica pacientemente o que está por trás de determinadas falas de Hockney, permitindo aos iniciados na arte compreender melhor e aos que aspiram a sê-lo ter uma base clara para conseguir construir satisfatoriamente suas primeiras noções dessa nova perspectiva para enxergar o mundo através dos olhos de dois especialistas, que discutem nomes grandes e o porquê desses nomes serem grandes — pois com certeza quem está lendo, iniciado ou não, já se viu encarando um quadro de Picasso sem entender o que faz dele e do cubismo epítomes na arte.